Diário de Leticia

Em residência artística promovida pelo Fujifilm FIF Viseu, a brasileira Leticia Valverdes executa um projeto muito interessante que explora os conceitos da memória, da saudade, do passado e da cultura locais.

A avó de Leticia, Crescenciana Espírito Santo, nascida em Mundão, no distrito de Viseu, emigrou para o Brasil em 1921 e nunca regressou a Portugal. A intenção de Leticia é regressar a Mundão e descobrir a vida que a avó poderia ter vivido caso nunca tivesse partido – as pessoas que poderia ter conhecido, os locais onde poderia ter passado o seu tempo – e criar com os fotografados postais de lembrança que a avó nunca recebeu.